Em 2013 o SPC foi parar no Serasa por inadimplência

Brasil gazetacrnews em 26 de dezembro, 2018 08h12m
Facebook Twitter Whatsapp

Em 2013, o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) doi parar no Serasa, por dívidas de aluguéis, condomínios e IPTU. Processo de cobrança tramitou na justiça por vários anos. 

Nacional - Quem já deixou de pagar parcelas de produtos ou serviços comprados a prazo sabe bem o que acontece: o nome vai parar no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). Mas, e se o órgão encarregado de informar ao mercado quem está inadimplente não honrar seus próprios compromissos? É por essa situação, no mínimo inusitada, que a Câmara de Dirigentes Lojistas do Rio de Janeiro, detentora da marca SPC na cidade do Rio, está passando. Em valores atualizados, a entidade deve R$ 306.403,12, relativos a aluguel, condomínio e Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) atrasados.

A cobrança do débito foi discutida na Justiça desde novembro de 2005. A quantia refere-se ao uso de salas comerciais num edifício localizado na Rua da Carioca 32, no Centro do Rio, onde eram feitas consultas ao cadastro do SPC. O primeiro contrato entre a Câmara de Dirigentes Lojistas e a Beneficência Portuguesa, dona do prédio, foi assinado em 1 de junho de 2004.

Depois de anos, o SPC do Rio de Janeiro conseguiu fazer um acordo para pagar a dívida. 

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp

Comentários